25 de agosto de 2008

Manifesto: É proibido proibir!!!

MANIFESTO
É proibido proibir?

No dia 21 de agosto, última quinta-feira, durante a reunião do Conselho Superior Universitário (Consuni), foi aprovada a criação de uma resolução que deverá regulamentar o uso dos espaços da UFMT para realização de festas, eventos e alojamento. Por "espaços", entenda-se os saguões, interiores dos prédios e imediações. Por "festas" ou "eventos" entenda-se qualquer reunião de pessoas com atividade musical e comercialização de bebidas.

Em outras palavras, tal regulamentação proíbe o uso daqueles determinados espaços da universidade para festas, eventos e alojamento. Para essas atividades restarão as quadras externas e os estacionamentos. Essa resolução tramita desde 2007 e tanto os representantes dos estudantes no Consuni, quanto coletivos que atuam na UFMT manifestaram oposição. Por quê?

1) Por entenderem que o uso das salas de aulas para alojamento é a única forma de alojar estudantes a baixo custo durante os congressos e diminuir a logística de transporte, bem como proporcionar acomodação no espaço de vivência a que a UFMT, em seus discursos, busca. Vivência estudantil inclui, para além da sala de aula, a extensão, os eventos e congressos.

2) A falta de alojamentos para os congressos impede a organização de eventos e a mobilização de estudantes, mesmo com a garantia de que a Provivas cederia recursos. Sabemos que os mesmos não são suficientes, pois eles são destinados ao pagamento de bolsas, alimentação e moradia, e já não atendem a essas demandas.

3) As atividades culturais são necessárias à vivência universitária. As quadras e os estacionamentos não são apropriados, não dispõem de banheiros, pontos de energia ou iluminação. Quem faz cultura ou "festas" sabe do aumento do custo financeiro para a locação de equipamento de sonorização, palco, profissionais, montagem de tendas e banheiros químicos que isso acarreta.

Na reunião do CONSUNI, o reitor propôs a construção de um espaço específico para eventos, porém há pelo menos três anos se fala na construção de um centro de vivência estudantil na universidade para realizar os eventos e congressos em um local apropriado. O último projeto apresentado previa lojas e estacionamento, num prédio ao lado do Centro Cultural (ou Elefante Branco), que seria a extensão da Coordenação de Cultura, abrigando a Escola de Artes e não mais os projetos e coletivos estudantis. O espaço do alojamento, também proposto há mais de três anos pelo reitor, seria construído na Educação Física.

Conclusões...
Parece que os dirigentes da universidade não entendem os congressos e eventos como extensões do ensino. E não percebem que muitos dos eventos culturais e festas são para arrecadar dinheiro para financiamento das atividades de coletivos, sejam eles DCE, CA´s, turmas de formandos, coletivos de comunicação ou movimentos segmentais, os quais suprem as demandas que a universidade não tem condição de atender.

Os eventos culturais realizados pelos estudantes são entendidos pelos dirigentes da UFMT como "festas", o que demonstra que os dirigentes dessa universidade não têm qualquer comprometimento em entender o que é a produção cultural estudantil, como ela se organiza, executa seus projetos e quais seus fins. Cultura, para eles, é a Orquestra Sinfônica, Canto Coral, Escolas de Artes e Cine Coxiponês, que estão muito distantes da realidade dos estudantes e mais ainda da comunidade externa. A cultura urbana é sinônimo de festa irresponsável, que depreda o patrimônio público.

Essa resolução mostra uma UFMT arcaica, que não discute Vivência Estudantil, Cultura, modos de ser e fazer de seus estudantes. Não houve qualquer esforço em realmente discutir a regulamentação de uso dos espaços ou criar regras para que os eventos aconteçam. Em vez de criar possibilidades e alternativas, a Universidade PROÍBE.

Em vista disso, nós, abaixo-assinados, manifestamos oposição a essa resolução e exigimos revogação da mesma no Consuni. Propomos que se faça uma resolução que crie possibilidades de uso responsável do espaço público e que atenda as necessidades dos estudantes.

Além do manifesto, serão organizados uma série de eventos para a mobilização dos estudantes, a manifestação terá o nome de É Proibido Proibir. O calendário é o seguinte:
Terça-feira - dia 26 - Festa na Rodoviária (ICET), a partir das 17h
Quarta-feira - dia 27 - Festa no ICHS, a partir das 17h
Quinta-feira - dia 28 - Festa no bloco de Engenharia Florestal, a partir das 17h
Sexta-feira - dia 29 - Festa do Calouro no saguão do IL - a partir das 17h

*Todos os dias, às 16h, o grupo de estudantes mobilizados se reunirá no RU a caminho dos eventos.

Nenhum comentário:

Videos

Loading...