24 de agosto de 2008

A Aliança Revolucionária Antiimperialista (ARA), frente a situção política posterios ao referento revogatório de 10 de Agosto, CONSIDERA:
Que o triunfo do povo Boliviano é desconhecido pela direita reacionária e facista. Esta, está em um verdadeiro estado de desespero, que induz a cometer atos cada vez mais em desacordo com a democracia, as leis vigentes, mais ainda com a moral.
A extrema direita está cada vez mais a margem da lei e vem impulsionando uma escala de violencia cada vez maior. A direita e o facismo não tolerão que o "Sim por alteração, pelo aprofundamento do processo e por Evo", tenha se incrementado de maneira tão conduntente.
Esse aumento tem significado quase 16 pontos em cima dos obtidos nas eleições dos generais de dezembro de 2005; o significado do SIM triunfa virtualmente em 6 departamento e que em 116 provincias que tem no país, Evo ganhou em 96 delas.
A direita, em um esforço para trapacear no referento, recorreu a procedimentos imorais, como a proibição da circulação das pessoas com deficiência e falando que eles eram impostores.
No dia do referendo, foram agredidos com os ajuda dos grupos fascistas, médicos e professores cubanos, pois estavam sendo acusados de ingerência e eles ainda tentaram sabotar durante a consulta popular, sem sucesso.
A extrema direita fez com que a repercusão internacional mostrasse algo que não existiu: um golpe mentiroso de Evo.
Consolidar o processo de "Vire a esquerda" na América Latina é um duro golpe para os governos conservadores apenas 2 (Colômbia e Peru) e, ao próprio imperialismo que perde posição, apesar de sua agressividade aumenta.
O reconhecimento internacional é claramente refletido no comunicado emitido pela União da Juventude Socialista, aplaudindo o comportamento exemplar do povo boliviano e ao apoio esmagador para o regime democrático consagrado pelo governo do presidente Morales.
Após o referendo, continuaram os atos de violência que foi demonstrado no ataque com as camadas da população que não suportam mais os maus tratos no trabalho, onde eles sofrem ataques, com ajuda da Polícia Nacional e jornalistas, todos são brutalmente e incansavelmente perseguidos e maltratados.
ARA considera que é chegado o momento de frear os excessos de extrema-direita e fascismo oriental e deverão aplicar imediatamente as disposições legislativas que penalizem atos criminosos que denunciamos.
ARA considera que as ações da extrema-direita têm por objectivo a dividir o país, uma vez que sofreu a rejeição das urnas e o fracasso dos seus planos subversivos. Por isso, a tarefa central de todos os patriotas, independentemente da sua classe, cultura e da religião é a de organizar a defesa da unidade nacional.
O povo boliviano tem de preparar a defesa resoluta, que depois, como está provado que superabundantemente direita, implementado e apoiado pelo imperialismo não quer diálogo ou de acordo com o governo de Evo. Em vez disso,prefere ver correr sangue e destruir Bolívia antes de perder os seus privilégios.
Felizmente o último referendo demonstrou que os dirigentes da extrema-direita é uma pequena minoria que, com todo o seu poder económico e os meios de comunicação da campanha, mesmo por trás, isto conduz a menos de um terço da população confusa e errada com o seu venenosos pregação.
Ara convoca todos as pessoas para se unir, os movimentos sociais e organizações para a defesa da pátria; partidos políticos estão exigindo que os progressistas e patrióticas coordene os seus esforços o mais rapidamente possível na cruzada para salvar a Pátria Boliviana
COMISIÓN SOCIAL, Alex Aranda
MOVIMIENTO POPULAR ENDOGENO; Edgardo Vásquez,
PARTIDO COMUNISTA DE BOLIVIA, Marcos Domich
PARTIDO COMUNISTA (mlm); Jorge Echazú,
PARTIDO SOCIALISTA, Fortunato Esquivel,
PARTIDO SOCIALISTA-1, Hugo Vaca
PARTIDO SOCIALISTA DEMOCRÁTICO, Hugo Rodas,
PS-MG (MOVIMIENTO GUEVARISTA.): Pedro Medinap.
INDEPENDIENTES DE IZQUIERDAJuan Carlos Alvarado
Juventude Comunista da Bolivia - Comite Regional Cochabamba

Nenhum comentário:

Videos

Loading...