3 de julho de 2008

Fidel Castro: da revolução até hoje

Fidel Alejandro Castro Ruz, nasceu no dia 13 de agosto de 1926, no povoado cubano de Birán (província de Holguin). Seu pai, Ángel Castro Argiz, era um agricultor neste povoado. Em 1956, Fidel Castro comandou ao lado do Ernesto "Che" Guevara, uma revolução que culminou com a destituição do ditador, em 1º de janeiro de 1959. Os objetivos da revolução consistiam em conduzir Cuba à democracia, à libertação social e à autonomia nacional.

Com o passar do tempo, Fidel foi dando à revolução uma orientação marcante de socialismo de Estado. Introduziu, com êxito, amplas reformas, que geraram importantes conquistas como o fim do analfabetismo, o estabelecimento de um sistema social, a assistência médica gratuita, e a expropriação dos latifúndios.Em 1961, Fidel declarou oficialmente Cuba como Estado socialista. No mesmo ano, os Estados Unidos cortaram relações diplomáticas e iniciaram um embargo econômico extremo à Cuba, que dura até hoje.

Em abril de 61, milhares de exilados auxiliados pelos EUA tentaram derrubar o regime cubano. Porém, sua investida à Baía dos Porcos foi derrotada pelas forças castristas. Vale lembrar que os EUA tentaram por várias vezes assassinar Fidel Castro, com medo do crescimento da força comunista no mundo. Mesmo com a queda da URSS, grande apoio de Cuba à epóca, e o embargo dos EUA, Fidel conseguiu governar Cuba.

Conseguiu acabar com o analfabetismo, tornar Cuba exemplo mundial em educação e implantar o melhor sistema de saúde pública do mundo.Após 49 anos à frente de Cuba, em 19 de fevereiro de 2008, Fidel Castro abdicou ao direito de ser votado no processo eleitoral cubano. Há então uma ofensiva da mídia burguesa para distorcer os fatos de sua saída, dizendo que Fidel renunciou ao cargo de presidente. Isso comprova a força de Fidel Castro e o incomôdo que o mesmo causa para os setores conservadores mundias, pois até quando Fidel se prepara para sair do campo político por motivos de saúde, a midia burguesa o persegue através de uma tentativa falhida de menosprezar o grande ícone revolucionário.

E para terminar este artigo, nada melhor do que essa frase dita por Fidel Castro: "Em vez de nos agredirem como nos agridem, por que é que não fazem simplesmente uma pergunta: como é possível que Cuba em 30 anos tenha feito o que a América-Latina não fez em 200 anos?"

* Este artigo foi escrito por Daniel Carvalho, membro da direção municipal da UJS Campos.

Nenhum comentário:

Videos

Loading...