19 de junho de 2008

UNE e UBES participam de ato da CMS contra o aumento de juros

Passeata, que acontece nesta quinta-feira (19) pela manhã, em Brasília, marcará a primeira atividade do 56º CONEG da UNE que vai até domingo (22)

Sob a chamada "Menos juros, mais desenvolvimento", entidades que compõem a Coordenação Movimentos Sociais (CMS), entre elas a UNE e a UBES, farão no dia 19 de junho, em Brasília, uma ampla mobilização nacional contra a política de juros do Banco Central (BC). O protesto, que vem sendo preparado desde maio, ganhou novo fôlego com a decisão, anunciada pelo Copom (Comitê de Política Monetária) dia 4 de junho, de elevar a Selic (taxa básica de juros) em 0,5 ponto percentual (para 12,25% ao ano).
O ato acontecerá das 10h às 14h em frente ao Banco Central (Setor Bancário Sul, Quadra 3 – Brasília-DF). Após o ato político contra o aumento dos juros, os manifestantes se reunirão no auditório Nereu Ramos, da Câmara dos Deputados, às 15 horas, para o debate "Contra o imperialismo em solidariedade ao povo cubano".
"Esta manifestação tem a importância de apresentar a opinião dos movimentos sociais sobre os rumos do desenvolvimento do Brasil. Não podemos simplesmente ficar assistindo o Banco Central tomar decisões conservadoras, que travam o crescimento do país. Por isso, faremos uma grande manifestação em Brasília no dia 19 pela queda dos juros e por mais desenvolvimento, que passa também pela implementação de reformas democráticas, como a Tributária, que deve servir para distribuir renda, além de garantir a Reforma Educacional", afirmou Flávia Calé, diretora de Universidades Públicas da UNE.
Para o presidente da UBES, Ismael Cardoso "O aumento dos juros é um crime contra o desenvolvimento e a geração de empregos no país, pois os argumentos técnicos para esta elevação não se justificam, a inflação não está na ordem do dia, pois a oferta ainda é maior que a demanda no mercado brasileiro".
E completa: "O aumento nos preços dos alimentos, que os tecnocratas do Banco Central afirmam ser um grande perigo para a nação, na verdade nos beneficia uma vez que o país é um grande exportador de alimentos e, o que na verdade acontece, é uma pressão dos especuladores, que ganham com os altos juros da dívida pública."
Este ato será a primeira atividade do 56º Conselho Nacional de Entidades Gerais (CONEG) da UNE que começa oficialmente na sexta-feira (20) na Universidade Federal de Brasília (UnB) e se estende até domingo (22), dia em que ocorrerá a plenária final.
Esta edição do encontro fará uma análise sobre a conjuntura política do Brasil em debates que contarão com a presença de especialistas na área, discutirá o quadro atual do movimento estudantil, avaliando os últimos acontecimentos relacionados como a ocupação da UnB, as manifestações na Unifesp e demais protestos encabeçados por estudantes que aconteceram pelo País; além de debater educação, com foco na qualidade de ensino, acesso, políticas de permanência e democratização.
Durante o encontro serão reeditadas as campanha em defesa da Amazônia e de incentivo a participação política da juventude. O 56º CONEG também definirá a proposta para elaboração do projeto de Reforma Universitária da UNE.
Participam da CMS os seguintes movimentos: Marcha Mundial de Mulheres (MMM), Movimento Sem Terra (MST), Central Única dos Trabalhadores (CUT), Central de Movimentos Populares (CMP), Confederação Nacional das Associações de Moradores ( CONAM), Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil (CTB).

Nenhum comentário:

Videos

Loading...